Voltar ao trabalho amamentando

Voltar ao trabalho após a licença-maternidade não significa o fim da amamentação. Com um bom planejamento e comunicação, seu bebê ainda pode se beneficiar do leite materno 

Returning to work as a breastfeeding mum

Conseguir o equilíbrio certo entre o trabalho e a vida pessoal pode ser desafiador quando você planeja voltar ao trabalho após a licença-maternidade. Você pode se sentir dividida entre o esforço emocional de deixar o bebê e a necessidade de ganhar dinheiro, ou a vontade de continuar trabalhando e evoluir na sua carreira.

Se você estiver amamentando e quiser continuar, é preciso também pensar em como manter sua produção e garantir que o bebê continue recebendo seu leite enquanto você estiver fora. Muitas vezes, isso significa extrair leite materno no trabalho, armazená-lo e transportá-lo em segurança para que outra pessoa possa alimentar seu filho.

Quais são os benefícios de continuar a amamentação após a volta ao trabalho?

Voltar ao trabalho pode ser complicado, depois de passar muitas semanas ou meses apenas com o seu bebê. Continuar a amamentação é uma forma de manter essa importante ligação entre vocês e facilitar a mudança para uma nova rotina.

A amamentação também pode ser uma forma muito agradável de restabelecer a ligação quando vocês passam mais tempo separados, como descobriu Peggy, mãe de uma filha, da Suíça: "Voltei ao trabalho quando a Penelope tinha seis meses. Nessa época, eu ainda a amamentava antes de sair para o trabalho e quando voltava para casa. Esse continuou a ser nosso tempo especial juntas.”

Lembre-se, também, de que seu bebê ainda pode usufruir de todas as propriedades benéficas e protetoras do leite materno, se você voltar ao trabalho. Há muitos componentes no leite materno que combatem as infecções e ajudam o bebê a se recuperar mais rapidamente de doenças. Estudos mostram que mães que amamentam faltam menos ao trabalho do que as que não amamentam, porque seus bebês adoecem com menos frequência.1

Quando devo voltar ao trabalho?

Algumas mães não têm muita escolha sobre quando voltar. A volta pode ser determinada pela empresa, pelas leis de maternidade do seu país ou por necessidades financeiras. Se você tiver sorte de contar com flexibilidade, antes de decidir pese os prós (como rendimento, progresso da carreira, estímulo psicológico ou contatos sociais) e os contras (ficar separada do bebê, custos com a creche ou logística complicada) e converse com amigas e colegas que passaram por essas experiências.

Lembre-se de que amamentar, extrair leite no trabalho e cuidar de bebê ou criança pequena pode ser física e emocionalmente desgastante. No entanto, algumas mães consideram a extração uma pausa bem-vinda durante um dia atarefado no trabalho.

"Voltar ao trabalho e me concentrar durante oito horas foi difícil; por isso eu gostava das pausas para a extração", diz Monika, mãe de três filhos, da Suíça. "Era um tempo para mim, em que eu podia me sentar, fechar os olhos e descontrair".

E a creche?

Escolha uma creche que aceite de bom grado alimentar seu bebê com leite materno extraído e/ou seja favorável à amamentação quando você o deixa e vai buscá-lo. Converse sobre isso antes da matrícula e explique suas necessidades com clareza.

Pergunte como seu leite é armazenado e forneça uma quantidade suficiente de mamadeiras e bicos higienizados. Explique como seu bebê gosta de tomar o leite – quente ou frio, no colo ou sozinho, com supervisão (acima de seis meses) – para que ele o aceite melhor.

Se você tiver a sorte de contar com familiares para cuidar do bebê, deixe bastante leite e instruções. Gimena, mãe de dois filhos, da Argentina, comenta que sua filha demorou um pouco a se adaptar à nova forma de alimentação: "Voltei a trabalhar quatro horas por dia quando minha filha tinha nove meses", comenta. "Eu me levantava cedo para extrair leite e deixava uma mamadeira com meu marido. No início ela não queria a mamadeira, mas continuamos a insistir e ela acabou aceitando".

O que devo perguntar na empresa?

Entre em contato com sua empresa assim que souber quando pretende voltar ao trabalho, mesmo que ainda faltem alguns meses para a data. Assim você poderá conversar sobre suas horas de trabalho e o apoio da empresa à amamentação continuada. Você pode preferir voltar em meio período ou pensar em trabalho compartilhado, ou fazer horas "comprimidas", trabalhando mais tempo em menos dias.

"Tive licença-maternidade de seis meses e depois senti que estava pronta para voltar ao trabalho. Agora trabalho meio período, 60% da semana, e está perfeito para mim", diz Andrea, mãe de dois filhos, da Suíça.

Se você trabalha em uma grande empresa, entre em contato com o departamento de recursos humanos para se informar sobre a política de amamentação. Se nenhuma funcionária extraiu leite antes, seja inovadora e comece a fazê-lo na empresa.

Se você pretende extrair leite no trabalho, avise a empresa com bastante antecedência. Em muitos países, as empresas são obrigadas por lei a fornecer um espaço reservado para as mães extraírem leite, com intervalos regulares para a extração e um local para guardar o leite materno com segurança. Verifique se no seu país existem orientações trabalhistas para mães que amamentam e leia sobre o assunto.

"Meu conselho é ter um plano antes de voltar ao trabalho", diz Shalena, mãe de dois filhos, do Canadá. "Identifique suas necessidades – com que frequência você precisa extrair leite, durante quanto tempo e onde. Também é importante explicar que suas necessidades mudam à medida que o bebê cresce. Conheça seus direitos e responsabilidades e defina seus planos com confiança".

Uma alternativa à extração é escolher uma creche perto do trabalho, para que você possa fazer intervalos para amamentar o bebê nos horários habituais.  

Como devo me preparar para a volta ao trabalho?

Se você estiver amamentando, pratique extrair e alimentar o bebê com mamadeira ou copo, com algumas semanas de antecedência, para que os dois se acostumem com essa forma de alimentação.

Também é preciso descobrir qual a melhor opção de extração para você. Pode ser um extrator de leite elétrico, um manual ou mesmo a extração à mão. A eficiência, o custo, a portabilidade e o silêncio do extrator podem influenciar muito a sua escolha. 

Peça a familiares e amigos para darem mamadeira de leite materno ao bebê, para que ele se acostume a ser alimentado por outras pessoas. O bebê pode ficar mais disposto a receber seu leite de outra pessoa se você não estiver por perto.

"Introduzimos a mamadeira de leite extraído bem cedo, meses antes de minha volta ao trabalho, por isso estava confiante de que não seria um problema quando eu voltasse", explica Lily, mãe de dois filhos, do Reino Unido. "Experimentamos várias mamadeiras e bicos até encontrar o que meu filho aceitasse".

Depois de planejar sua volta com cuidado, é hora de pensar na logística da extração no trabalho. Confira os nossos artigos sobre extração no trabalho, armazenamento e transporte de leite materno com segurança e extração fora de casa.

Referências

1 Murtagh L, Moulton AD. Working mothers, breastfeeding, and the law. Am J Public Health. 2011;101(2):217-223.