O que é ingurgitamento mamário?

Algumas mães sofrem de ingurgitamento mamário quando o leite começa a "descer", poucos dias após o parto. Normalmente é temporário e fácil de tratar. Leia mais para saber como.

What is breast engorgement?
Medela expert Sioned Hilton
Sioned Hilton, health visitor, neonatal nurse and lactation consultant:
Sioned, mãe de três filhos, há mais de 30 anos tem vindo a dar apoio a famílias com bebés e crianças pequenas. Além de trabalhar com mães que amamentam e extraem leite, tanto em hospitais como na comunidade, colabora em revistas e conferências sobre maternidade e paternidade e realiza workshops para profissionais de saúde.

Quando você começa a amamentar o bebê, seus seios produzem colostro em pequenas quantidades, que aumentam de forma gradual nos primeiros dias. Mas, após dois a quatro dias, começam a produzir quantidades muito maiores – uma mudança conhecida como "descida" do leite.1

Um dos sinais de que o leite está descendo é quando os seios ficam mais cheios e firmes. Esse inchaço não é provocado apenas pela maior quantidade de leite, mas também pelo maior fluxo de sangue e líquido linfático no tecido mamário.2

Para a maioria das mães, se o bebê estiver amamentando bem e com frequência, a sensação de peso passa sem problemas. Mas algumas produzem mais leite do que seus seios suportam, o que provoca a sensação desconfortável de empedramento e mamas muito cheias – uma condição denominada ingurgitamento. Embora seja geralmente temporária, pode causar muita dor nas 24 a 48 horas que costuma durar.

Qual é a sensação de seios ingurgitados?

O ingurgitamento pode ocorrer em um ou ambos os seios. Pode provocar latejamento e inchaço, às vezes se estendendo até a axila, e sensação de muito calor e encaroçamento devido à intensa atividade que ocorre no interior dos seios. Você poderá notar outros sintomas de ingurgitamento mamário, como a pele dos seios brilhante e esticada, e os mamilos endurecidos e planos. O ingurgitamento pode até aumentar sua temperatura corporal para 37,5 a 38,3 °C.3

Além de ser doloroso, o ingurgitamento mamário pode causar dificuldades na amamentação - que podem, por sua vez, agravar o problema. Seu bebê pode ter dificuldade de pegar a mama se seus mamilos forem mais planos e o tecido mamário mais duro, o que pode provocar dor nos mamilos. Além disso, se o bebê não pegar bem a mama, é provável que ele não consiga drená-la bem. Isso significa que, se não for tratado, o ingurgitamento pode provocar obstrução dos ductos mamários, mastite e redução na produção de leite.

O que provoca o ingurgitamento mamário?

Geralmente, o ingurgitamento acontece porque o bebê não está mamando com frequência suficiente (pelo menos oito vezes a cada 24 horas). Isso pode acontecer com qualquer mãe, mas é mais comum nas que se submeteram a mamoplastia de aumento ou outra cirurgia dos seios.2 A pressão de um sutiã inadequado ou roupa apertada pode agravar o desconforto, podendo levar à obstrução dos ductos mamários e possivelmente à mastite.

O ingurgitamento mamário pode ocorrer tanto com mulheres que não amamentam ou não podem amamentar, como com as que amamentam normalmente. As alterações hormonais que se seguem ao parto e à expulsão da placenta provocam aumento da produção de leite, e ocorrem com ou sem a amamentação. O ingurgitamento também pode ocorrer se você reduzir o número de mamadas de repente, talvez por seu bebê estar doente, dormindo mais, começando a ingerir alimentos sólidos ou indo para a creche.

Como posso tratar os seios ingurgitados?2

O tratamento mais eficaz para o ingurgitamento mamário é um bebê faminto! Você deve tentar esvaziar os seios o máximo e com a maior frequência possível, para ajudar a manter o fluxo de leite. Por isso amamente por livre demanda, entre oito e 12 vezes a cada 24 horas.

Mantenha o bebê em contato pele a pele com seu peito o maior tempo possível durante o dia e quando estiver acordada à noite. Assim, ele pode sentir o aroma tentador do seu leite e ter acesso fácil aos seus seios, e é mais provável que você consiga perceber os primeiros sinais de fome e possa garantir que ele mame com frequência. Deixe-o mamar o quanto quiser de um seio antes de oferecer o outro.

Também vale bem a pena pedir que um consultor em aleitamento materno ou especialista em amamentação verifique a posição e a forma como seu bebê pega a mama, para ter certeza de que ele está mamando com eficiência e drenando bem seus seios. As dicas abaixo também podem ajudar a aliviar os sintomas.

Dicas para aliviar o ingurgitamento2

  • Amamente pelo menos oito vezes a cada 24 horas.
  • Verifique se seu bebê pega bem a mama.
  • Tente amamentar em posições diferentes.
  • Massageie seus seios suavemente enquanto amamenta, para ajudar a drenar bem o leite.
  • Extraia um pouco de leite, à mão ou com um extrator de leite, antes de amamentar, para ajudar a amolecer o mamilo e facilitar a pega.
  • Se seus seios ainda estiverem muito firmes e cheios após a mamada, extraia novamente até se sentir confortável.
  • Se o bebê não conseguir mamar, substitua as mamadas no peito por extrações. Extraia leite até sentir os seios bem macios – no mínimo oito vezes a cada 24 horas.
  • Experimente o "amaciamento por pressão inversa", uma técnica que permite retirar o excesso de fluidos da mama. Um consultor em aleitamento materno ou especialista em amamentação pode mostrar a você como fazê-lo.
  • Se você tiver vazamento de leite, tome um banho quente ou aplique uma flanela quente e úmida antes de amamentar. Ou faça uma extração para aliviar os seios e ajudar o leite a fluir. Faça isso por poucos minutos, pois muito calor pode agravar o inchaço.
  • Se não houver vazamento, aplique uma compressa fria, almofada de gel resfriada ou mesmo um pacote de ervilha congelada, embrulhado em um pano, por dez minutos após a mamada. Com isso você diminui o inchaço e alivia a dor. 
  • Coloque folhas de couve limpas dentro do sutiã. Sim, é verdade! Muitas mães acreditam que as folhas ajudam a reduzir o inchaço e o desconforto, e há evidências cientificas que sustentam esse fato.4
  • Tome analgésicos com ação anti-inflamatória. Paracetamol e ibuprofeno podem ser tomados durante a amamentação, embora o ibuprofeno seja contraindicado para mães asmáticas. Consulte sempre um profissional de saúde e siga as indicações do fabricante e do farmacêutico. Geralmente, é melhor evitar a aspirina. Para saber mais sobre que medicamentos usar durante a amamentação, leia Amamentar enquanto está doente.
  • Use um sutiã de amamentação adequado e evite armações. Ou talvez você prefira nem usar sutiã.
  • Não pule mamadas nem pare de amamentar de repente, para não agravar o ingurgitamento.

Consulte um médico se você tiver febre5 em torno de 38 °C ou mais, ou se o bebê não conseguir mamar devido ao ingurgitamento.

E, por fim, tente ter paciência. Seu corpo ainda está se acostumando a produzir leite e alimentar o bebê. O ingurgitamento deve desaparecer logo, à medida que ambos se adaptarem à amamentação.

Referências

1 Pang WW, Hartmann PE. Initiation of human lactation: secretory differentiation and secretory activation. J Mammary Gland Biol Neoplasia. 2007;12(4):211-221.

2 Berens P, Brodribb W. ABM Clinical Protocol# 20: Engorgement, Revised 2016. Breastfeed Med. 2016;11(4):159-163.

3 Affronti M et al. Low-grade fever: how to distinguish organic from non-organic forms. Int J Clin Pract. 2010;64(3):316-321.

4 Boi B et al. The effectiveness of cabbage leaf application (treatment) on pain and hardness in breast engorgement and its effect on the duration of breastfeeding. JBI Libr Syst Rev. 2012;10(20):1185-1213.

5 NHS Choices. How do I take someone’s temperature? [Internet]. UK: NHS Choices; updated 2016 June 29. Available from: www.nhs.uk/chq/pages/1065.aspx?categoryid=72