A amamentação ao fim de um mês: O que esperar

Sabe quando a sua produção de leite materno estabiliza? Ou como a frequência e a duração das sessões de amamentação do seu bebé mudam, à medida que cresce e fica mais ativo? Descubra no nosso guia sobre a amamentação ao fim de um mês

Breastfeeding support after one month

Parabéns. Conseguiu ultrapassar o primeiro e louco mês de amamentação. O seu leite materno está agora completamente maduro,1 a sua produção de leite está a começar a acalmar e os seus seios já não perdem tanto leite, ou já não perdem leite nenhum. Não se preocupe. Não está a produzir menos leite. Os seus seios é que estão a ficar mais eficientes a produzir e a armazenar leite.2 Às seis semanas, começará a ver os primeiros sorrisos deslumbrantes do seu bebé e aos dois meses já terá passado por 500 a 600 sessões de alimentação. Se tudo estiver a correr bem, como se espera, qualquer questão relacionada com a pega está resolvida e agora trata-se de continuar a amamentar e de desfrutar da comodidade e dos duradouros benefícios para a saúde.

Quando é que diminui a frequência da amamentação?

A amamentação "normal" varia muito nos bebés com um a seis meses de idade. Alguns mamam apenas quatro vezes em 24 horas, enquanto outros têm treze sessões de alimentação por dia.3

"Quando tem à volta de um mês, o seu bebé começa a ingerir maiores volumes de leite em cada sessão de amamentação e pode passar a ter intervalos mais longos entre cada sessão," explica Cathy Garbin, uma consultora em aleitamento de renome internacional. "O estômago dele está em crescimento e por isso pode mamar mais. Além disso, o seu leite maduro mantém-no mais cheio durante mais tempo."

As sessões de amamentação podem demorar de 12 minutos a cerca uma hora. Existe mesmo esta grande variabilidade entre bebés!3 Mas, se o seu bebé está a ganhar peso e tem um padrão de alimentação que se enquadra nestes intervalos, não tem razão para se preocupar.

Surpreendentemente, no entanto, independentemente da frequência com que o seu bebé mama, consome mais ou menos a mesma quantidade de leite por dia quando tiver um mês como quando tiver seis meses e começar a introduzir alimentos sólidos.4

"Dito isto, vai sem dúvida ter dias em que o seu bebé vai querer mamar um pouco mais ou um pouco menos, principalmente se não estiver a sentir-se bem. Não se preocupe e deixe andar," diz Cathy.

É verdade que o meu bebé precisa apenas de leite materno durante os primeiros 6 meses?

Sim. O leite materno dá ao seu bebé tudo o que ele necessita durante os primeiros seis meses de vida. Se for amamentado exclusivamente, nem sequer precisa de água!5 Na verdade, o seu sistema digestivo não consegue lidar com alimentos sólidos até perto dos seis meses e não vai conseguir beber leite de vaca antes de fazer um ano.

A amamentação ao longo deste período também prepara o seu bebé para os excitantes momentos que tem pela frente. Exercita os músculos da boca e ajuda a desenvolver os maxilares e a alinhar os dentes,6,7 que são primordiais para a sua alimentação e fala. E, dado que o sabor do seu leite materno pode ser influenciado pelo que come e bebe, isto significa que o seu bebé pode experimentar novos sabores antes mesmo de introduzir alimentos sólidos.8

Não só isso, mas, se o seu bebé ficar doente, o seu corpo produz anticorpos que entram no seu leite materno para ajudar a combater a infeção.9 Isto significa que continua a protegê-lo, à medida que vai crescendo e fica mais ativo ao longo dos próximos meses.

Assim que acertar o passo, continuar a amamentar também é incrivelmente prático, como percebeu Claudia, mãe de dois filhos, Reino Unido. "Não ter de esterilizar imensos biberões, preparar o leite de fórmula, andar com tudo atrás e depois ainda aquecer, fez com que amamentar fosse a opção mais fácil, principalmente quando o meu bebé ficou um pouco mais velho e passámos a sair mais."

Quando é que o meu bebé amamentado vai dormir toda a noite?

É normal qualquer bebé acordar durante a noite. A maioria dos bebés com entre um e seis meses consome um quinto da sua dose diária de leite durante a noite. Por isso, estas sessões de amamentação são importantes para garantir que recebem calorias suficientes.3

"Na verdade, depende do que chama dormir toda a noite," diz Cathy. "Se o seu bebé vai para a cama à meia-noite e acorda às 5 horas, algumas pessoas chamam a isso dormir toda a noite e de certeza que é melhor do que acordar de duas em duas horas! Sei de bebés amamentados que vão para a cama às 19 horas e acordam às 7 horas a partir das seis semanas, mas muitos outros continuam a acordar muitas vezes. Todas as crianças são diferentes."

Um estudo com mais de 700 bebés no País de Gales demonstrou que quase 80% acordavam pelo menos uma vez por noite entre os seis e os doze meses e 25% acordavam três vezes ou mais. Não havia diferença na frequência entre bebés amamentados e bebés alimentados com leite de fórmula.10

Por isso, se vai ter de acordar de qualquer maneira, ao menos a amamentação é uma opção muito prática! M., mãe de três filhos, Austrália, concorda: "À noite quase nem temos de acordar. Basta deixarmos o corpo e o bebé entrarem no modo de piloto automático. Nada de planeamento, medições ou esterilizações. Está tudo pronto e na temperatura certa, dentro da mama. Para mim, é perfeito."

O meu bebé começou a acordar mais vezes. Terá fome?

Por volta dos quatro meses, os padrões de sono do seu bebé podem mudar, à medida que começa a passar por períodos de sono profundo e de sono ligeiro, tal como um adulto. Por conseguinte, pode começar a acordar mais vezes durante a noite. "Nesta fase dos quatro meses pode estar a lidar com uma questão de sono e não com uma questão de alimentação," diz Cathy. "Pode deixá-la exausta, mas tente ir ao sabor da corrente e aguentar o passeio."

Algumas pessoas referem-se a isto como o "retrocesso no sono aos quatro meses", mas a palavra mais adequada é progresso. Apesar de poder parecer um passo atrás, o seu bebé está a aproximar-se de uma fase importante no seu desenvolvimento. Está a aprender rapidamente, a ficar mais consciente do mundo, a ganhar uma melhor perceção de profundidade e talvez a começar a sentir a ansiedade da separação. Chorar por si quando acorda, mamar e estar perto de si é uma forma de se sentir mais seguro.11–13

Resista à tentação de dar um complemento de leite de fórmula, ou de introduzir alimentos sólidos, numa tentativa de fazer o seu bebé dormir durante mais tempo. O seu leite materno contém hormonas que provocam sonolência e ajudam ambos a descontrair. E os estudos demonstram que as mães que amamentam, na realidade dormem mais durante a noite do que as que usam leite de fórmula ou alimentação mista.14

De que maneira a formação dos dentes afeta a amamentação?

A formação dos dentes começa muitas vezes por volta dos quatro meses. O seu bebé pode ficar irritadiço, afastar-se da sua mama e chorar, devido ao desconforto, se as gengivas estiverem doridas, o que pode ser frustrante.

No entanto, mamar também pode ser calmante. Um estudo demonstrou que os bebés que mamam durante imunizações choram menos e recuperam mais rapidamente da dor15 e este efeito calmante também pode ajudar o seu bebé quando estiver na altura da formação dos dentes.

Um efeito secundário indesejável pode ser o seu bebé começar a usar a sua mama para experimentar os seus dentes novos. "Por vezes, alguns bebés brincam um bocadinho e mordem a mãe. Quando isto estiver quase a acontecer, vai notar uma mudança subtil no seu bebé enquanto mama - vai ter de afastar a língua antes de morder," diz Cathy. "Normalmente, não é um grande problema e pode acontecer apenas durante algumas sessões de amamentação. Basta parar a sessão de amamentação e dizer-lhe delicadamente que não é bom morder e ele acaba por perceber."

Como posso continuar a amamentar se estiver longe do meu bebé?

Pode haver ocasiões, enquanto ainda está a amamentar exclusivamente, durante os primeiros seis meses, em que precisa de deixar o seu bebé durante algumas horas, ou mesmo mais, se tiver que voltar para o trabalho, ou que estar fora durante um dia ou dois.

Não pense que tem que deixar de amamentar nessa altura. Pode continuar a oferecer ao seu bebé os benefícios do leite materno extraindo leite que o bebé pode beber enquanto não estiver com ele, como explica Cathy:

"Extraia leite para alguns dias com antecedência, tirando pequenas quantidades – talvez 40 a 60 ml de cada vez – de forma a ter uma reserva pronta para quem ficar a cuidar do seu bebé. Tirando pequenas quantidades, não afeta a sua produção de leite.

"Se está de regresso ao trabalho, fale com o seu empregador para organizarem um plano. Muitas mães amamentam o seu bebé à noite e dão a primeira e a última sessão de alimentação do dia. Depois extraem durante a hora do almoço, para aliviar qualquer desconforto e para terem leite para o dia seguinte.

"Normalmente é muito mais fácil do que se imagina e, hoje em dia, muitos locais de trabalho estão preparados para isso," acrescenta. "Os extratores de leite são eficazes e vão ajudá-la a gerir estes malabarismos com facilidade."

Natalie, mãe de um filho, EUA, descreve a sua rotina: "Amamento o Dylan logo que acorda e, por vezes, de novo antes de ir para o trabalho, para iniciar a minha produção de leite e manter esta nossa ligação. Extraio leite duas vezes no trabalho, para o dia seguinte (ele bebe dois frascos de leite materno enquanto estou no trabalho) e depois volto depressa para casa para a sua sessão de amamentação da noite. Nos fins de semana, não extraio leite e ele volta a mamar apenas."

Posso continuar a amamentar depois de introduzir alimentos sólidos?

Quando o seu bebé começa a manifestar interesse pela comida e a sentar-se sem apoio, por volta dos seis meses, quer dizer que está pronto para a introdução de alimentos sólidos. No entanto, isto não significa o fim da amamentação, como explica Cathy: "As reservas de ferro do seu bebé, acumuladas durante a gravidez, foram usadas durante seis meses e ele precisa de obter mais," diz Cathy.

"Introduza alimentos por volta desta altura, mas lembre-se que a amamentação continua a ser mais importante, como fonte de calorias e nutrientes, até o seu bebé ter cerca de oito ou nove meses. Nessa altura estará a comer muito mais comida, mas pode ainda estar a mamar quatro ou cinco vezes por dia, dependendo do seu bebé. Quando chegar aos 12 meses, pode estar a mamar entre duas a seis vezes por dia. Todos os bebés são casos particulares e o seu bebé pode ainda estar a receber metade das suas calorias a partir do leite materno."

E não se esqueça que o seu leite materno também pode ser adicionado aos primeiros alimentos sólidos do seu bebé, tais como cereais e purés, de forma a que possa sentir um sabor familiar às refeições. Se possível, use leite extraído na altura (não descongelado) e misture mesmo antes de servir, para os componentes vivos e os nutrientes não serem destruídos.16

Pode sentir alguma pressão social para parar aos seis meses, mas quanto mais tempo amamentar ou extrair leite, mais benefícios haverá para ambos.

Posso continuar a amamentar durante quanto tempo?

"A Organização Mundial de Saúde recomenda dar às crianças pequenas leite materno juntamente com alimentos sólidos até terem dois anos e mais, dado que ainda tem um papel vital no reforço do sistema imunitário," diz Cathy. "Também é uma forma importante de dar apoio emocional quando se sentem abalados ou debilitados."

Aos oito meses, pode estar a amamentar o seu bebé quatro vezes por dia, mas depois de ter um ano, pode estar a amamentar apenas duas vezes por dia. Pode encontrar um padrão que sirva bem para os dois e que se adapte ao seu estilo de vida, como fez Jane, mãe de dois filhos, EUA. Amamentou os filhos até por volta dos dois anos: "Amamentava quando estava com eles à noite e nos fins de semana, quando queriam sentir-se próximos de mim," diz. "Foi uma grande ajuda quando estavam doentes e era o meu método de aproximação para os reconfortar."

"À medida que o meu filho cresceu e se tornou mais aventureiro, muitas vezes voltava para mim para mamar, como se fosse para ligar à terra e permitir que recarregasse as baterias," recorda Amy, mãe de dois filhos, Canadá. "Quando ficava com galos e pisaduras pelo caminho, mamar era um grande conforto para ele."

Se amamentar o seu bebé até ser uma criança pequena, algumas pessoas podem comentar que ele nunca irá querer parar. Mas, tendo liberdade para escolher, muitas vezes as crianças pequenas fazem um autodesmame entre os dois e os quatro anos.17

"Nunca planeei amamentar durante tanto tempo, mas continuo a amamentar os meus bebés com quatro anos e com 22 meses," diz Susannah, mãe de dois filhos, Reino Unido. "Amamento o meu mais novo antes e depois do trabalho e extraio quando vou em viagens de trabalho. A minha filha mais velha tem uma pequena sessão de alimentação de conforto antes de ir para a cama, ou quando está inquieta. É uma ótima forma de restabelecermos a nossa ligação. Quando estou exausta ou a sentir-me desligada, penso nos espantosos benefícios para a saúde e no conforto que estou a oferecer-lhes. Estou a planear fazer o desmame liderado pela criança e deixar que parem quando estiverem preparados."

Descubra mais sobre o que pode esperar, além de muito apoio e conselhos, em Desafios da amamentação ao fim do primeiro mês

Referências

1 Ballard O, Morrow AL. Human milk composition: nutrients and bioactive factors. Pediatr Clin North Am. 2013;60(1):49-74.

2 Kent JC et al. Principles for maintaining or increasing breast milk production. J Obstet, Gynecol, & Neonatal Nurs. 2012;41(1):114-21.

3 Kent JC et al. Volume and frequency of breastfeedings and fat content of breast milk throughout the day. Pediatrics. 2006;117(3):e387-395.

4 Kent JC et al. Longitudinal changes in breastfeeding patterns from 1 to 6 months of lactation. Breast Med. 2013;8(4):401-407.

5 Almroth S, Bidinger PD. No need for water supplementation for exclusively breast-fed infants under hot and arid conditions. Trans R Soc Trop Med Hyg. 1990;84(4):602-604.

6 Victora CG et al. Breastfeeding in the 21st century: epidemiology, mechanisms, and lifelong effect. Lancet. 2016;387(10017):475-490.

7 Peres KG et al. Effect of breastfeeding on malocclusions: a systematic review and meta‐analysis. Acta Paediatr. 2015;104(S467):54-61.

8 Mennella JA, Beauchamp GK. Maternal diet alters the sensory qualities of human milk and the nursling's behavior. Pediatrics. 1991;88(4):737-744.

9 Hassiotou F et al. Maternal and infant infections stimulate a rapid leukocyte response in breastmilk. Clin Transl immunology. 2013;2(4).

10 Brown A, Harries V. Infant sleep and night feeding patterns during later infancy: Association with breastfeeding frequency, daytime complementary food intake, and infant weight. Breast Med. 2015;10(5):246-252.

11 Infant sleep information source. [Internet]. Normal Infant Sleep Development; December 2017 [cited 2018 Feb]

12 Baby sleep science. [Internet]. The-Four-Month-Sleep-Regression-What-is-it-and-What-can-be-Done-About-it. March 2014 [cited 2018 Feb] 

13 The Myth Of Baby Sleep Regressions – What’s Really Happening To Your Baby’s Sleep? [Internet]. Pinky Mckay; December 2017 [cited 2018 Feb]

14 Kendall-Tackett K et al. The effect of feeding method on sleep duration, maternal well-being, and postpartum depression. Clinical Lactation. 2011;2(2):22-26.

15) Harrison D et al. Breastfeeding for procedural pain in infants beyond the neonatal period. Cochrane Database Syst Rev. 2014;10.

16 Czank C et al. Retention of the immunological proteins of pasteurized human milk in relation to pasteurizer design and practice. Pediatr Res. 2009;66(4):374.

17 Weaning from the breast. (2004). Paediatr Child Health, 9(4):249–253.